ja_mageia

Novo Texto na Biblioteca Online
Foi adicionado um novo texto de Educação na Biblioteca Reformada Online, intitulado "O Ensino sob a Perspectiva Cristã - Joel Beeke".
  • Increase font size
  • Decrease font size
  • Default font size
Inicial Biblioteca Online Educação Pastoreando o Coração da Criança II - Tedd Tripp
Pastoreando o Coração da Criança II - Tedd Tripp PDF Imprimir E-mail

PASTOREANDO O CORAÇÃO DA CRIANÇA

II. MUDANDO AS ATITUDES DO CORAÇÃO.

2ª Palestra proferida pelo Dr. Tedd Tripp, no X Encontro da Editora Fiel

* * *

Gn. 18:19. "Porque Eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do Senhor, e pratiquem a justiça e o juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito."

É um prazer para mim compartilhar com vocês sobre coisas que são preciosas ao meu coração. Nos últimos anos, eu tenho gasto muito tempo tentando entender as crianças e como pastoreá-las. E algumas coisas que vamos ver nestes dias irão ajudar-nos a pastoreá-las. Que o Senhor nos ajude e nos dê entendimento a medida que vamos estudar a Sua Palavra, e a ver as implicações dela. Que pela consideração da Sua Palavra o Senhor nos dê a orientação necessária para aprendermos como pastorear as nossas crianças. Pois nós queremos que o nosso ensino a elas, as leve a presença do Senhor. Queremos aprender a mostra-las a depravação dos seus corações. Queremos apontá-las o caminho a Cristo. Queremos pedir e interceder por elas, para que cheguem a fé e ao conhecimento de Cristo. Portanto, pedimos a Ti, Senhor, que ilumines as nossas mentes e corações para que possamos cumprir essa tarefa que Tu tens nos dado, para a Tua própria glória.

Eu creio que nós, como pais, temos experimentado uma grande variedade de frustrações com as nossas crianças. Quantas vezes nós nos sentimos insuficientes para essa tarefa? e quantas vezes ficamos desencorajados para cumprir com o que nos compete? olhamos para as nossas crianças e ficamos pensando o que vai acontecer com elas. Nós as vemos crescendo e vemos coisas erradas nelas. E vemos que os anos estão passando rapidamente. Então ficamos pensando como poderemos fazer o que Deus tem nos chamado para fazer.

Entendendo o Problema Através da Bíblia.

Muitas vezes vemos as necessidades delas e não sabemos como responder às suas necessidades. E quantas vezes nós respondemos mas não ficamos satisfeitos com a respostas que damos. Também, com freqüência, evitamos assuntos que precisam ser abordados. Nós estamos preocupados, nós vemos certos modelos de comportamento e respostas e nós não sabemos de onde tudo isso vem. Nós queremos ajudá-las, mas não estamos certos de como fazê-lo. E eu tenho descoberto que muitos pais estão frustrados com a sua tarefa. Quero então, chamar a atenção para alguns textos que já temos olhado. Nós precisamos entender o comportamento das crianças com os olhos das Escrituras. Qual é a visão bíblica do comportamento. Se nós vamos entender as nossa crianças através das Escrituras, precisamos saber então, o que as Escrituras dizem a respeito do comportamento delas. O que as Escrituras dizem sobre o porquê as crianças fazem o que fazem. Nós precisamos entender o que é que causa tal comportamento.

A Origem de Todo Comportamento Humano: O Coração

Leia Lc.6:43-44 e você verá que, neste texto, Deus descreve a origem do comportamento humano. A nossa fala e o nosso coração refletem aquilo que somos. Pode-se dizer que o nosso coração determina a nossa fala e a nossa ação. As coisas que as nossas crianças falam e fazem, vem do coração. Nós precisamos sempre lembrar que Marcos também ensina isso em Mc.7:20-23. Você pode verificar que algumas das coisas relacionadas neste texto, também se encontram em sua criança. E assim as Escrituras estão nos mostrando o que se encontra por baixo do comportamento humano. Então, olhando para o comportamento, podemos seguir a linha que nos levará ao coração. A fonte de onde nasce todo comportamento é o coração. E se nós queremos entender o comportamento de nossos filhos, nós teremos de seguir até a fonte, que é o coração deles.

Se isso é verdade, então são as atitudes do coração que estão refletidas no comportamento. O comportamento pecaminoso começa na verdade no coração, e aquelas atitudes do coração se externam. Isso também é verdadeiro quanto ao comportamento correto, comportamento espiritual. Ali também o comportamento é um reflexo da atitude do coração.

Nosso Erro: Abordar Diretamente o Comportamento

Olhando em nossas famílias, nós observamos que isso é verdadeiro. Você tem duas crianças e um brinquedo. O que acontece? os dois certamente estarão disputando o mesmo brinquedo. E olhando para o comportamento, verificamos um comportamento egoísta. Como pais cristãos nós não queremos que nossas crianças tenham esse tipo de comportamento e nós queremos que esse comportamento seja mudado, então, que fazemos? Muitas pessoas fazem o seguinte: ‘Quem pegou o brinquedo primeiro?’ e assim, esta criança não vai observar o ponto correto, porque na verdade você está diante de duas crianças egoístas. A questão de quem pegou por primeiro é apenas uma questão de justiça, mas isso não vai lidar com o verdadeiro problema, o egoísmo, pois elas amam a si mesmas. Então as duas crianças não tem disposição em compartilhar uma com a outra. Cada uma prefere a si mesma, e as duas estão determinadas a ter o brinquedo da mesma forma.

Outra forma de abordar o problema é através do apelo emocional. E dizemos algo assim: ‘eu fico muito triste de vocês agirem dessa forma. Vocês deixam o seu pai e a sua mãe tristes por agirem assim. E o papai vai sair para o trabalho triste por isso, mas eu ficaria tão contente de voltar para casa e encontrar vocês agindo de forma diferente’.

Há também a forma de ameaças. ‘Se vocês vão brigar por este brinquedo eu vou tomá-lo de vocês e dá-lo para outra criança, eu vou tirar tudo de vocês’. Ao ainda: ‘vocês não querem ser pessoas boas?...’ ou ainda ‘o que é que Jesus está sentido ao ver vocês agindo assim?’

Eu estou certo de que nenhuma dessas abordagens vai resolver o problema. Todas elas são tentativas de mudar o comportamento. É verdade que o comportamento precisa ser mudado, e é óbvio que temos de dizer para elas que precisam compartilhar as suas coisas, mas o assunto mais profundo aqui não é lidar com o comportamento dessas crianças.

Eu vou lhes contar uma história que aconteceu comigo enquanto utilizava a forma de ‘quem pegou o brinquedo por primeiro?’. Em uma manhã, quando acordamos, não havia um brinquedo sequer na caixa que se utilizava para guardá-los. Meu filho mais velho tinha acordado mais cedo e tinha então se apossado de todos os brinquedos. Quando ele queria brincar com certo brinquedo ele então ia apanhá-lo no local aonde estavam escondidos. Ele tinha este direito, pois os tinha pego por primeiro. Veja o problema que eu tinha criado ali.

A Mudança tem de ser do Coração

Pense o seguinte, se nós formos focalizar apenas o comportamento, nós vamos ficar perdidos em algum momento, e nunca conseguiremos levar as nossas crianças até a Cruz de Cristo. Você não vai conseguir levá-las até a cruz com esses tipos de atitudes descritos anteriormente. Pense no seguinte: vamos supor que venhamos a mudar o comportamento sem mudar o coração. Então as atitudes do coração não estão mudadas, mas de alguma forma eu conseguiu manipular a sua criança para que ela não seja egoísta com os seus brinquedos. Será que é isso que nós queremos para elas? a palavra bíblica para isso é hipocrisia, moralismo ou legalismo. Isso não é mudança bíblica.

Sabe o que mais acontece quando se tenta mudar apenas o comportamento? a mudança não será duradoura. Nós já experimentamos isso algumas vezes, como quando as crianças estão no quarto brigando e você entra no quarto e faz com que elas parem de brigar. Quando você se retira do quarto elas logo reiniciam a briga novamente. Qual é o problema? o coração não foi abordado. Esse comportamento egoísta tem sua origem no coração e está ligado ao fato de elas amarem a si mesmas em primeiro lugar. O problema é muito mais profundo, pois está ligado a um coração que está longe de Deus. É um coração que diz que encontrará a sua alegria agradando a si mesmo. E o que o vai agradar mais, é manter o brinquedo consigo ao invés de com seu irmão. Note que o problema da luta ou da porfia tem sua origem no coração. O que nós queremos ver é um coração mudado. Nós queremos ver um coração que mudou do amor por si mesmo para o amor pelo próximo e pelo Senhor. Nós queremos ver nossas crianças como imitadoras de Cristo como Fp.2 diz. Queremos vê-las como o Ap. Paulo via a Timóteo. Queremos vê-las motivadas não pelo auto-interesse, mas pelo interesse pelos outros.

Portanto, um comportamento mudado que dura e permanece, começa pela mudança do coração. Lembre-se que do que o coração está cheio é o que a boca fala. Enquanto focalizarmos apenas o comportamento, nós cairemos em todo tipo de problemas no educar as nossas crianças. Vamos acabar nos tornando em pessoas que vamos viver nos queixando delas. Ou vamos acabar gritando com elas, ou vamos nos enganar dizendo a nós mesmos que elas de alguma forma irão superar isso no futuro. Ou o que é pior, nós daremos a elas alguns parâmetros, que dispensarão o conhecimento da graça de Deus.

Segundo as Escrituras a Mudança Tem de Ser Interna

As Escrituras nos dizem que a lei de Deus se resume em amar a Deus e amar ao próximo, mas se nós não mexermos com o coração de nossas crianças, nós podemos acabar por substituir esta lei para nossas crianças, estabelecendo um outro parâmetro do qual elas sejam capazes de cumprir. Por exemplo, se duas crianças estão brigando pelo mesmo brinquedo e você diz então que cada uma vai brincar com este brinquedo por dez minutos. Você então estabeleceu um padrão que elas podem guardar sem conhecer a graça de Deus. E quando nós reduzimos o comportamento das nossas crianças a esse tipo de lei, estamos afastando-as de Cristo e da cruz. Não é preciso graça para esperar por dez minutos por um brinquedo, mas deixar que o meu próximo brinque com o meu brinquedo, vai exigir de mim graça para amá-lo em primeiro lugar.

Mudanças que vão permanecer nunca acontecerão através da mudança apenas do comportamento. Mudanças que permanecem acontecem quando não nos limitamos as mudanças do comportamento, mas vamos até a atitude do coração, e então vamos olhar a atitude do coração que está por detrás da atitude do comportamento.

Vamos então, falar as nossas crianças da necessidade delas de arrependimento e fé em Cristo. É Cristo quem pode trazer mudanças permanentes no coração. Arrependimento e fé em Cristo é que vão mudar um coração que está cheio de amor próprio, por um amor pelo Senhor e pelo próximo, e aí então, produzirá um comportamento reto. Eu não estou falando sobre o evento que se chama Salvação, mas em ensinar as nossas crianças, seguidamente, que o problema está no coração. Assim a questão é o que fazer para mudar o coração e não apenas o comportamento. Como é que eu posso ir além das camadas do comportamento e chegar o próprio coração? Como dizer as crianças que o problema delas não está em ter um único brinquedo mas sim nos seus corações? Como falar com elas sobre isso de forma que elas apreendam? Como, então, pedir a elas que se arrependam e confiem em Cristo? Como mostrá-las que Cristo veio para efetuar a mudança do nosso coração?

Então quando eu vou abordá-las, eu devo ir da seguinte forma: Mudança de comportamento não é o único problema aqui. É certo que eu devo mudar o comportamento, mas é preciso entender que a tarefa é maior do que isso. Eu quero que elas entendam o seu coração, ajudando-as a entender que é o coração delas que tem se desviado da atitude correta. E a minha intenção é adverti-la de forma que exponha a questão do coração. Não estou falando de esmagá-las com todo tipo de acusação, mas de falar-lhes de forma amorosa e gentil do problema exato, e da mudança que o evangelho traz que haverá de abranger todo o ser. O evangelho é o poder de Deus para mudar as pessoas de dentro para fora..

Eu não estou falando sobre o novo nascimento, mas sim sobre ensiná-las que o seu problema é no coração. Eu estou falando sobre usar os problemas do dia a dia como um trampolim para apresentá-las o coração mau.

Alguns Exemplos Práticos

Como exemplo, gostaria de contar-lhes duas histórias. Esta aconteceu na escola que pertence a nossa igreja. Um dia estavam dois jovens brigando no parque, e a professora os trouxe para falar comigo. Eu convidei um dos garotos para entrar na minha sala. Quando ele entrou, eu comecei a conversar com ele sobre o que havia acontecido no parque. Então aprendi uma coisa muito interessante. Que naquela classe havia três garotos que eram muito populares, e que todos queriam tê-los como amigos. E este menino com quem eu estava falando era um dos que não havia conseguido penetrar no grupo dos três, mas que estava quase chegando lá. E que o menino com o qual ele estava brigando no parque, era um dos que estavam ainda muito longe dos três. Então neste dia ele estava tentando ser aceito pelo grupo dos três. E o garoto com quem eu estava conversando ficou muito bravo, pois ele se sentiu desafiado pelo outro que estava muito mais distante do grupo, por isso iniciaram a briga.

Comecei, então, a conversar com ele sobre o seu comportamento e eu disse a ele que ele não estava sendo bondoso para com o outro garoto. Você sabe que precisa ser bondoso com o seu colega. Então, depois de lhe apresentar a causa real do problema, lhe indaguei sobre qual era a atitude do coração que o levava a tratar o outro daquela forma. Tendo me respondido de maneira tríplice. Que era o orgulho, egoísmo e sem amor. Ao que lhe apresentei a Cristo e o poder do evangelho. Que Jesus veio ao mundo para mudar pessoas como você e eu de dentro para fora., e Jesus pode mudar você de maneira que não seja egoísta e tenha amor pelos outros. Depois falei a ele sobre estas coisas já mencionadas, orei com ele e o mandei volta para a classe.

Eu sabia qual era o problema do outro menino. Era alguém que se encontrava muito ferido por estar sendo excluído do grupo. Falei a ele que conhecia esta sentimento de ser excluído pelos outros; que é uma coisa muito dolorosa ser uma pessoa rejeitada pelos outros colegas; é muito doloroso ser considerado como alguém que não é atrativo. Comecei a falar-lhe sobre Alguém que sabia muito bem o que é não ser atrativo aos outros. Lembra-se de Is. 53? "Ele foi desprezado e rejeitado pelos homens; não havia nEle formosura para que o desejássemos". E ao falar sobre esta pessoa, Jesus, as lágrimas começaram a rolar dos olhos do menino. Depois de orar com ele, mandei-o de volta a classe.

Mais tarde a professora deles me telefonou dizendo que não sabia o que eu tinha feito com os garotos, mas que tinha visto o primeiro garoto ser bondoso para com o segundo por todo o restante do dia.

Eu poderia ter falado com estes garotos dizendo que na escola era proibido brigas e que se eles brigassem outra vez seriam mandados de volta para as suas casas. Ou fazê-los escrever cem vezes a frase ‘não vou mais brigar na escola’. Se mais uma vez eu os encontrar brigando , vocês vão ver uma coisa.... O que não os mudaria em nada, pois o problema deles era mais profundo do que simplesmente uma briga. O problema era que eles tinham pecado no coração e que precisavam da graça de Cristo.

A outra história aconteceu num domingo pela manhã, após a pregação. Um jovem recém-convertido veio falar comigo muito perturbado e ele me disse que havia visto um garoto roubando dinheiro de dentro do gasofilácio. Então lhe mandei falar com o pai do garoto sobre o que ele tinha visto, e em poucos minutos o pai e o garoto vieram ter comigo. O pai do garoto me disse que o seu filho havia roubado dois dólares da coleta, e mandou então que ele me desse o dinheiro. E o garoto me deu os dois dólares.

Comecei a falar para aquele garoto sobre a graça maravilhosa de Deus. Disse-lhe: ‘Deus é tão bom para você! Pois Ele demonstrou graça não permitindo que você obtivesse sucesso no seu intento. Porque se você tivesse conseguido fazer sem que ninguém o percebesse, isso lhe causaria um grande mal ao coração. Mas o problema está no seu coração, Há algo dentro dele que faz você desejar tanto aquele dinheiro que o leva a roubá-lo. Mas eu tenho uma boa notícia para você: ‘o Senhor Jesus é poderoso para o salvar, se você confiar em Cristo, Ele vai mudar o seu coração. Mas se não tiver o seu coração mudado por Cristo, você irá continuar roubando por toda a sua vida. Jesus está tão cheio de graça e de misericórdia, que Ele não deixou você ter êxito no seu plano, e isto lhe deu a oportunidade de ouvir isso que estou lhe falando. Então lhe perguntei: Jesus não é mesmo maravilhoso? e naquele momento ele parou, enfiou a mão no bolso e retirou uma nota de vinte dólares, e me entregou.

Ele estava pronto a me devolver os dois e guardar os vinte. Iria fingir que estava muito sentido com o que havia feito. Diria que estava muito triste com aquilo, e me daria os dois dólares, mas ficaria com os vinte. O pior de tudo é que ele continuaria fazendo a mesma coisa, pois obtivera bom êxito. Quando eu comecei a falar-lhe sobre a graça de Deus, então o seu coração de desmanchou diante de nós. E quando falei sobre a misericórdia de Deus, ele não podia mais continuar escondendo os vinte dólares.

Isso é o que precisamos fazer com as nossas crianças. Fazê-las entender que o problema delas não é apenas de comportamento, mas é o que está por detrás do comportamento. O problema são as atitudes do coração que Deus condena. Estas são as más notícias. E as boas notícias é que Jesus veio mudar o coração e através do arrependimento e da fé em Cristo, nós podemos ter um novo coração. Deus faz transplante de coração, Ele tira o coração de pedra e coloca o coração de carne. Nos dá do Seu Espírito, que faz-nos andar nos seus caminhos. Precisamos colocar sempre e de forma contínua estas informações diante de nossas crianças.

Você pode ver que se continuar sempre mudando o comportamento, não chegará nunca nisso? É preciso chegar no coração para que se possa chegar na cruz.

Conhecendo Primeiramente o Meu Coração

Podemos dizer que estas coisas só serão perfeitamente compreendidas quando experimentados e não apenas faladas. Como que as suas crianças vão aprender estas coisas? Se nós, como pais, temos corações duros, elas nunca irão aprender estas coisas. Precisamos primeiramente compreender o que está por trás do nosso comportamento entendendo o nosso próprio coração. Somente depois disso é que nós poderemos ministrar o coração de nossas crianças. Nos posicionando acima delas, como autoridades, por estar aplicando primeiramente a nós mesmos, mas também ao lado delas como quem entende e sofre também esta mesma luta.

Quando eu comecei a ensinar as minhas crianças sobre o egoísmo, eu comecei a entender um pouco melhor, como estas coisas acontecem no coração humano, pois vi no meu próprio coração o desejo de ser o primeiro em tudo e então pude me colocar lado a lado com elas. E pude então dizer para elas que há esperança para alguém nós, porque o Senhor Jesus veio para mudar os nossos corações. Ele veio para nos fazer novo de dentro para fora.

Que Deus nos dê graça para podermos abordar a questão real com as nossas crianças.

Eu creio que a maioria destas coisas são novas para você. Quero então desafiá-lo a pensar sobre estas coisas. Que você comece consigo avaliando as atitudes do seu próprio coração. Então leve a sua criança junto com você para o caminho que conduz à cruz de Cristo.

Oração Final

Ó Deus! queremos Te pedir que tomes estas coisas e as tornes clara para nós. Que Tu nos dê entendimento sobre as nossas crianças. Ajuda-nos a nunca manipulá-las. Dá-nos uma preocupação, por elas, que vá além da superfície do comportamento. Ajuda-nos a leva-las a ver a necessidade do coração delas, e a sermos capazes de lhes mostrar a beleza de Cristo, para que possamos lhes apresentar este Salvador que é poderoso para nos salvar, e que pode mudar-nos a partir do nosso interior, que trabalha através do Seu Espírito no nosso homem interior. Ajuda-nos, Senhor, a pastorear as nossas crianças desta formar, em nome de Jesus. Amém!