ja_mageia

Novo Site da ARPAV
Estamos lançando o novo site da ARPAV. Estamos agora com um novo layout e utilizando um sistema mais moderno de atualizações. Em breve lançaremos também um novo site do Centro de Estudos John Knox. Aguarde.
  • Increase font size
  • Decrease font size
  • Default font size
Inicial Biblioteca Online Teologia Prática Os Crentes Idosos e a Casa de Deus - Dr. Ashton Oxenden
Os Crentes Idosos e a Casa de Deus - Dr. Ashton Oxenden PDF Imprimir E-mail

Os Crentes Idosos e a Casa de Deus

Dr. Ashton Oxenden
(ministro Reformado em Montreal, no século dezenove)

 

 

A casa de Deus é um lugar especial para os crentes em idade avançada. É um local de atmosfera calma, quieta, refrescante da alma, sendo particularmente doce para aqueles que desejam descanso verdadeiro. Lá, você está livre dos barulhos e confusões do mundo, com todas as suas vaidades e pecados, e lá você encontra o seu Deus, e mantém doce comunhão com Ele.

É verdade que o Senhor está em toda parte. Ele acompanha o nosso andar e o nosso deitar. Mas Ele está especialmente conosco em Sua própria casa. Lá, nós sentimos a Sua presença mais intensamente, e ficamos muitas vezes prontos para exclamar, como Jacó fez em Betel: “Realmente o Senhor está neste lugar... É a casa de Deus, a porta do céu” (Gn. 28:15-16).

O bom ancião Eli amava a casa de Deus. Ele passava muitas horas felizes e abençoadas no átrio sagrado. Davi também regozijava-se em estar lá: “Um dia nos teus átrios vale mais do que mil [gastos em qualquer outro lugar]; prefiro ser um porteiro na casa de Deus do que habitar nas tendas da iniqüidade” (Sl. 84:10). Simeão se alegrava muito em suas visitas ao templo. Foi lá que, um dia, ele viu o Salvador, a quem tanto desejava contemplar, o que o levou a expressar a Deus o seu sentimento de plena realização: “Senhor, agora despede o teu servo em paz, de acordo com a tua vontade, porque os meus olhos viram a tua salvação” (Lc. 2:29-30). Também lemos, nos Evangelhos, de Ana, aquela viúva de idade avançada, que “não se apartava do templo, mas servia a Deus dia e noite, com jejuns e orações” (Lc. 2:36-37). A casa de Deus era a sua alegria. Era como se fosse o céu aqui na terra. As vozes em oração e louvor eram música para os seus ouvidos.

Bem, caro irmão ou irmã, eu espero que você possa dizer dos átrios do Senhor: “Eu amo estar lá. É lá que eu passo os meus momentos mais felizes. Lá, eu encontro a paz que o mundo não pode oferecer. Lá, muitas vezes, o meu coração foi aquecido com o amor de Cristo e do seu povo. Lá, entrei, muitas vezes, com um fardo pesado e difícil de carregar, mas pude abandoná-lo ali mesmo, saindo aliviado e revigorado”.

Entretanto, nem sempre acontece de tirarmos benefício de cada culto que participamos. Muitos jovens, e idosos também, não conseguem tirar proveito de muitos cultos que freqüentam. Deixe-me, então, oferecer amigavelmente a você, conselhos que poderão ser úteis neste particular:

  1. Sempre vá à casa de Deus esperando ser abençoado. Empenhe-se nesse sentido e especialmente peça a Deus por isto. Vá em espírito contrito. Antes de sair de casa, ajoelhe-se por um momento, e suplique ao Senhor que prepare o seu coração, com a ajuda do Seu Espírito Santo, capacitando você a adorá-Lo como convém.
  2. Ao chegar à igreja, participe do culto com todo o seu coração. Durante as orações, una-se fervorosamente aos seus companheiros de adoração. Não é suficiente sentar-se em silêncio enquanto seu ministro eleva aos céus as suas petições, mas ore você mesmo as orações, repetindo-as silenciosamente como se fossem suas. Sim, ore de todo o seu coração.
  3. Quando a Palavra de Deus for lida, ouça-a com toda a atenção. É possível que você já conheça bem a passagem em questão, mas lembre-se: ali estão verdades preciosas, que devem ser sempre bem recebidas por quem tem ouvidos para ouvir e coração para entender.
  4. Durante o sermão, seja um ouvinte humilde. Você deve sentir-se como uma criança pequena, reconhecendo que o seu conhecimento é tão pequeno, e que há muito para aprender. Considere-se também como um homem faminto, que chegou ali para ser alimentado, procurando fazer com que sua alma seja nutrida pelo pão da vida; ou ainda como um solo ressecado, que espera ansiosamente pela água da chuva para dessedentá-lo. Se todos nós ouvíssemos dessa maneira, quem poderá dizer quantas bênçãos poderíamos obter de cada culto que participamos, e de quantos que, participando desta ordenança de Deus, sairiam dali saciados e revigorados?

Talvez, com o tempo, seus ouvidos já não estejam funcionando tão bem e você consiga apenas entender uma parte do que está sendo dito pelo pregador. Talvez, sua memória também já esteja falhando, e você não consiga fazer um sumário daquilo que ouviu. Ainda assim, você pode levar consigo alguma coisa, e seja grato por esta alguma coisa, lembrando que esta é uma parte da mensagem de Deus para você.

  1. Outro conselho importante: ao chegar em casa, após a igreja, não esqueça o que esteve fazendo até há pouco. Converse sobre o culto, se você tiver oportunidade de fazê-lo. Pegue sua Bíblia e localize o texto; então, fale sobre qualquer parte do sermão que você conseguir lembrar. Esta é uma maneira de refrescar sua memória, e de construir um bom depósito de conhecimento espiritual.
  2. Quando a Santa Ceia for administrada, não falhe em recebê-la. Seja grato pela chegada do domingo da Ceia do Senhor, e regozije-se pela oportunidade de alimentar-se do corpo e do sangue de Cristo.

Algumas pessoas idosas tomam o sacramento de maneira apenas formal. Elas participam da mesa do Senhor por acharem isso uma coisa respeitável, ou porque o seu pastor espera que elas participem. Contudo, se elas participarem somente por estas razões, a sua adoração será pobre, fria, seca e sem significado; em vez de agradar a Deus, estarão somente ofendendo-O.

Mas eu confio que você, meu querido amigo ou amiga, não está entre estes comungantes formais. Eu espero que você esteja participando desta abençoada ordenança com um sentimento profundo de reconhecimento de sua própria pecaminosidade e indignidade, desejando de todo o coração aproximar-se de Cristo através de uma fé viva e humilde. Você vem, não porque seja digno para vir, mas porque sente a sua necessidade de fortalecimento e graça. Você vem a Jesus para ser perdoado e curado, e para receber Dele uma vida abundante.

Eu falei no início que Davi, Simeão e Eli amavam a casa de Deus. Mas você tem muito mais razões do que eles para amá-la, pois eles viviam nos dias da antiga aliança. A luz era bem tênue naqueles dias, mas agora ela brilha clara e abundantemente sobre nós. Cristo já veio e Ele está posto perante nós como “o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14:6).

Portanto, ame a casa de Deus. Aproveite todas as oportunidades possíveis de estar na casa do Senhor, relembrando a graciosa promessa do nosso Salvador: “quando dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali Eu estarei no meio deles” (Mt 18:20).

Que as suas oportunidades de culto sejam mais e mais felizes à medida que você vai chegando mais perto daquele culto que não se acabará e do qual você deseja tanto participar! Que o seu amor pelo Dia do Senhor, pela Casa do Senhor, pela Palavra do Senhor e pelo Povo do Senhor esteja sempre crescendo, até que você seja chamado para unir-se àquela gloriosa família no céu, onde estão assentados Abraão, Isaque, Jacó e todos os demais santos no reino de Deus!

 

Este texto é parte do livro "O Segredo para Envelhecer Feliz" da Knox Publicações. O livro pode ser adquirido neste link.